terça-feira, 5 de Janeiro de 2010

Anjo de guarda - Espíritos guias, protetores, familiares ou simpáticos


Espírito que se incumbe da tarefa de amparar um outro espírito na etapa encarnatória - todas as pessoas possuem um. Geralmente, são designados os espíritos afins_e_simpáticos para estabelecerem tal relação. Um guia espiritual é, via de regra, um espírito mais evoluído que o seu protegido. Não raro, se vêem mães guiando filhos ou maridos guiando esposas, e assim por diante. Um guia acompanha o seu protegido oferecendo apoio num momento de sofrimento, esclarecimento numa hora de dúvida, ajuda num instante de perigo, etc. As pessoas, mesmo sem perceber, estão submetidas à influência benévola desse guia constantemente e, ao mínimo pensamento feito a ele, o bondoso espírito se faz presente e exerce sua tarefa caridosa e despretensiosa. Um guia está profundamente ligado a seu protegido por motivos de afinidade_espiritual e sempre executa sua missão com um sentimento espontâneo de ajuda, porquanto essa ajuda também significa o seu próprio_desenvolvimento_e_evolução. Essa terminologia de "anjo da guarda", utilizada seriamente por outras religiões, pode ser tomada "emprestada" pelo Espiritismo, pois se enquadra perfeitamente para esse espírito missionário: consiste no amigo constante e amoroso que Deus proporciona a todos os encarnados na difícil etapa carnal - é comumente também chamado de "protetor espiritual" ou de "mentor espiritual".




http://www.plenus.net/arquivos/glossario.html







O anjo de guarda ou anjo guardião é o Espírito protetor, pertencente a uma ordem elevado.





O Espírito protetor, anjo de guarda, ou bom gênio é o que tem por missão acompanhar o homem na vida e ajudá-lo a progredir. É sempre de natureza superior, com relação ao protegido.







Quando o Espírito atinge o ponto de poder guiar-se a si mesmo, como sucede ao estudante, para o qual um momento chega em que não mais precisa de mestre. Este Espírito deixa de precisar, de então por diante, do seu protetor. Isso, porém, não se dá na Terra.







Na vida espírita, reconheceremos o Espírito nosso protetor. Pois não é raro que o tenhais conhecido antes de encarnardes.













Os guias invisíveis do homem não poderão, de forma alguma, afastar as dificuldades materiais dos seus caminhos evolutivos sobre a face da Terra.







[71 - página 17] - Emmanuel





Os maiores óbices psíquicos, antepostos pelo homem terrestre aos seus amigos e mentores da espiritualidade, são oriundos da ausência de humildade sincera nos corações, para o exame da própria situação de:



egoísmo,



rebeldia



e necessidade de sofrimento.



[41a - página 80] - Emmanuel - 1940





Um guia espiritual poderá cooperar sempre em vossos trabalhos, seja auxiliando-vos nas dificuldades, de maneira indireta, ou confortando-vos na dor, estimulando-vos para a edificação_ moral, imprescindível à iluminação de cada um; entretanto, não deveis tomar as suas expressões fraternas por promessa formal, no terreno das realizações do mundo, porquanto essas realizações dependem do vosso esforço próprio e se acham entrosadas no mecanismo das provações indispensáveis ao vosso aperfeiçoamento.



Muitas das nossas queixas são consideradas verdadeiras preces dignas de toda a carinhosa atenção dos amigos desencarnados.



A maioria, porém, não passa de lamentação estéril, a que o homem se acostumou como a um vício qualquer, porque, se tendes nas mãos o remédio eficaz com o Evangelho de Jesus e com os consoladores esclarecimentos da doutrina dos Espíritos, a repetição de certas queixas traduz má-vontade na aplicação legítima do conhecimento espiritista a vós mesmos.







[41a - página 118] - Emmanuel - 1940







Os Espíritos-guias nem sempre são atraídos por aqueles a quem dirigem, posto que isso aconteça habitualmente.

Algumas vezes são escolhidos por terem aptidão particular para instruir;

outras vezes são encarregados de missão especial;

finalmente, em outras são designados porque podem suprir o que falta aos caracteres que lhes são confiados para progredirem.

Algumas vezes eles próprios escolhem a pessoa que desejam influenciar. É isso um grande prazer para os Espíritos elevados.

Outras vezes ainda, querem, para seu próprio progresso espiritual, ser ligados a uma alma cuja cultura é penosa e difícil.

Às vezes são atraídos por pura afinidade ou pelos restos de uma afeição terrestre.

Quando não há missão especial, os guias são freqüentemente substituídos à medida que a alma progride.

[108 - página 32] - Médium: William Stainton Moses - (1839-1892) Muitos pensam que seu anjo de guarda ou Espírito Protetor seja um ser elevadíssimo, um Espírito Superior - isso é uma presunção. Seria o mesmo que pretendermos que o Ministro da Justiça viesse resolver a nossa questiúncula com nosso vizinho. Para isso, existe uma autoridade específica. Que temos diversos Espíritos que se interessam pela nossa proteção e desenvolvimento, não resta dúvida, mas que os mesmos sejam de ordem superior é pura vaidade de nossa parte; contudo, são de fato melhores do que nós, pois não se justificaria que um inferior protegesse um superior. Assim sendo, todos nós temos os nossos guardiães, segundo as nossas condições evolutivas. Entretanto, é necessário lembrar que há uma hierarquia em todos os planos, tendo em vista que quando o problema escapa à competência do mentor, ele solicita do seu superior a necessária intervenção. Outro aspecto a ser considerado é o da efetiva e ininterrupta assistência do guardião ao seu pupilo, como fosse um escravo a nosso serviço. Quando os Espíritos disseram que o anjo guardião se liga ao seu protegido, não significa uma constante assistência, mas sim um compromisso para com aquela criatura, ajudando-a sempre que necessário, seja pela evocação feita pelo tutelado ou pelos vigilantes deste, que são os Espíritos familiares ou afins. Caso contrário, o protetor não disporia de tempo para os estudos (o Espírito evolui eternamente) ou para outras tarefas, bem como para o lazer. Lembremo-nos também que temos a companhia que estivermos invocando pelas nossas condições_Smentais, as quais variam segundo as nossas atitudes: se estivermos voltados para os anseios_carnais ou violentos, não poderemos ser ajudados pelos nossos benfeitores, porque, ao afinar com entidades inferiores, automaticamente estaremos repelindo, sintonicamente, aqueles que nos querem ajudar.



http://www.plenus.net/arquivos/glossario.html





Links relacionados a Anjo de Guarda:



http://www.geocities.com/Broadway/Stage/7734/anjo.html



http://www.angeldoorway.com/Home/

Sem comentários:

Enviar um comentário